segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O gato

Meu gato sumiu
tantos dias que dói no peito
comprei vinho barato
para diminuir a falta
quanto mais afogo
tenho menos para fugir
se morreu peço a deus
Reserve um lugar para mim
Eu não demoro a chegar
É um miado puxado da garganta
O desespero da solidão dentro da garrafa
Reserve um lugar para mim
Eu não demoro a chegar
pela manhã o café que solta da garrafa querendo fraquejar
abro a janela do quarto
sirvo um bocejo ao dia da semana
para ressaca eu oro
para os analgésicos eu nego
Se eu morresse agora peço a deus
reserve um lugar para mim
Eu não demoro a chegar

Nenhum comentário:

Postar um comentário