terça-feira, 21 de outubro de 2014

Rígidos pés


Recuso uma foda
um abraço de quem já partiu
se a salgada te insiste na face
não sou quem se afoga no rosto branco
rochoso meu interior
com cinza nos bicos dos pássaros na praça
não tente me acordar
De olhos mais abertos
do que abortados
súplica
da covarde que grita
que tenta abraçar o abismo
que nunca mais cairá

Nenhum comentário:

Postar um comentário