quarta-feira, 6 de abril de 2016

Do ventre cinza

Na fenda escura
me cobri de pétalas brancas
Forjei na boca
o meu patíbulo
fiz dos meus algozes
provetas
refleti o velho
rouco pari um ditado

Nenhum comentário:

Postar um comentário