sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Tarde de terça feira

Quisera o vazio da caixa
o barulho da poça d'água sendo
pisada
encarando o fim de tarde com a pá
em mãos
cavaria meu túmulo
mas um filhote de pássaro caído ao
chão é a sátira do dia
calo a boca com o vidro
há o corte de dentro para fora
imagino os cabelos dela balançando
freneticamente não mais sob mim
a pele enrugando-se e a beleza indo
pelo bueiro entupido do seu novo
amado
engatilhei
e o disparo não tinha encontro
comigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário