quarta-feira, 18 de setembro de 2013

De samba quase nada

Te chamo de nega deitado no sofá
é almoço de domingo
e a preguiça vem propor
boca que é minha
suspiro que é seu
fim de tarde e só quero dizer:

vem nega
vem ver estrelas no meu colo
vem sorrir das coisas bobas
vem nega
me chamar de moleque
te faço mulher num balanço

É sempre domingo com teu sorriso
contra meu mau humor
faço um verso
com um copo na mão
pra poder dizer que te amo
te pegar sozinha na sala
te amar do máximo ao mínimo
vem deitar nega
garrafas ditam a regra
se é pra amar
que seja logo

Nenhum comentário:

Postar um comentário