sexta-feira, 17 de maio de 2013

Vulvas

Na maioria das vezes elas acabavam no meu copo, todas com suas cobranças e estampadas com "não dá mais". Eu enfiava os dedos e mexia de um lado a outro e cada gota que caía contra a mesa era uma lembrança, não eram boas por todo ou completamente inúteis, tinham algum peso que não era para minha cabeça carregar agora. Olhava as garrafas como pernas de antes, você saía delas chorando e uma mulher o pegaria no colo e você se sentiria protegido, em outras você forçava a entrada, gozaria e se desse tudo certo, estaria choramingando pelos pentelhos que não colocaria mais a boca. Muitos caras acabavam de baixo da ponte por causa disso, tinha lido e aprendido.
Mais uma garrafa sem saber o que poderia me decepcionar, isso dava gosto, dava prazer e eu com tudo isso? Continuei respirando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário