segunda-feira, 7 de julho de 2014

Caucasiana

Se você me pegasse sujo caído no meio fio

Eu estaria sorrindo

Estancado o sangue no nariz, meu chafariz de igualdade pela sua devoção

Com todos os apreços perdidos eu estaria sorrindo

Você usa a saia mais florida no inverno, sob meu cinza, você dança

Perco a minha última gota, meus vômitos no útero da caucasiana banhando a índole, inocência e covardia

Quando um sorriso é suficente entre os olhos
e parto na próximo par de pernas

Nenhum comentário:

Postar um comentário